1. "

    Anteriormente em Movimento Zero:

    … e sendo sadio pode se multiplicar e se multiplicando, pode melhorar o mundo e melhorando o mundo pode nos apaziguar…

    Parte 3

    Desta paz é que tento falar.

    Neste ato, a criação não tem nada de sagrado nem de profano, simplesmente traz natural e espontaneamente muita generosidade, humildade, sabedoria…

    Infelizmente, nada mais à toa e anacrônico hoje em dia, nada mais supérfluo. Não importa, traz dignidade e arrojo, liberdade de escolha, adequação, inventividade e com tudo isso traz responsabilidade a quem ali escolher viver.

    Tudo depende de parceria para dar certo, depende de comprometimento… E sendo construído a quatro mãos, não tem como dar errado. Vem com garantia de qualidade e deve ser praticada sem moderação.

    [segue…]

    "
    — 

    Marco Donini

    comprometimento

     
  2.  

  3. … e nós há 10 fazemos ARQrevista.

    Já são 13 volumes, todos aqui no ARQissuu.

    issuu

     
  4. [Continuação da parte 1…]

     

    Também já escrevi sobre o luxo invisível como sendo o único luxo real. Hoje diria que se existe mesmo algum luxo no mundo tem que necessariamente ser razoavelmente invisível. O luxo que se sente antes do que se vê… luxo que se sente não tem preço. Se isto é uma idéia ainda embrionária, estou certo que traz consigo um monte de águas passadas… arquétipos de outras vidas vividas, ou sofridas, ou somente festejadas, tanto faz… não separo muito essas coisa. Sei que muito do que penso ou sonho, faz parte de um pacote que me veio, uma bula interna que devo respeitar.

     

    Estou seguro de que para se construir um edifício ou uma casa qualquer, temos que voltar um tanto no tempo e zerar nossas expectativas tão tendenciosas. Pode ser muito mais simples do que possamos acreditar. Tudo pode voltar a ser como já foi, fácil rápido, quase mágico… tipo uma caverna ampla, térmica, proporcional, acolhedora.

    Projetar essa simplicidade é só o que me importa agora. Mas lá no fundo, não é só o que me importa, eu sei… Importa sim! Importa muito e hoje pretendo me movimentar para ver isso ereto, erguido… o falo… eu falo… eu repito: esse movimento zero - zero porque vem antes, porque é vazio de significados tolos, de significados mercadológicos ou sociológicos ou simplesmente porque é um zero à esquerda, por ser uma migalha diante de um oceano espalhafatoso e exibicionista, mas sendo migalha, pode virar semente e sendo semente pode brotar e brotando, pode crescer sadio e sendo sadio pode se multiplicar e se multiplicando, pode melhorar o mundo e melhorando o mundo pode nos apaziguar…

     

    [segue…]

     
  5.  
  6.  
  7. Movimento Zero 

    por Marco Donini

    Vem antes do Um.

    Vem antes de tudo.

    Até do próprio movimento.

    É uma intenção, uma vontade, um zero, uma forma redonda de pensar na vida.

    E nela pensando, vou inventando o tipo de arquitetura que me interessa.

    E assim cravo o marco… o Zero.

    Vejo como movimento interno que busca um sentido mais completo para ato de morar, desfazendo a simples idéia de empilhamento sistemático, que adotamos quase que sem questionamentos. Movimento que comprovaria que arquitetura é antes de tudo quase nada - de tão simples…

    É quase ar, de tão leve.

    Consequentemente quase inútil de tão implícita.

    Sendo mesmo assim tão simples, se libertaria de todas as regras…

    Se isentaria de todas as culpas…

    Atropelaria sem pudor essa imensa baboseira que virou a profissão.

    Arquitetura à toa… não me interessa mais.

    Escrevi uma vez algo parecido com um poema, que se chamava: “À toa…”

    Nem sabia se com crase ou sem. Não faziam qualquer diferença…

    Não sabia (e ainda nem sei) de onde surgiu essa expressão, mas seu sentido começou a martelar tudo que rodeava meu trabalho. Se um momento para outro, tudo parecia mesmo super à toa.

    O Movimento Zero portanto é o meu movimento isento, libertador e leve; buscando ser ético e poético ao mesmo tempo, seco e luxuriante em doses iguais… pulsante e discreto… movimento sutil.

    [segue…]

     
  8. pronto para o adesivo

     
  9. Chuva e muita expectativa em São Paulo #Copa2014

     
  10. ARQcopa é aqui - #Copa 2014

     
  11.  
  12. Fotos do trabalho de Chico Zelesnikar na exposição 32th Coopy RIghOTs – we MADE it READI, in Brazil - em Hamburgo, Alemanha - até 13 de julho de 2014. O tema da exposição é a Copa do Mundo de Futebol, saiba mais aqui, ou no ARQfacebook aqui, ou faça sua pergunta aqui.

     
  13.  

  14. app

     
  15.